Prestação de Contas Aberta

Caso dos detentos de Bangu-C — RJ


Rio de Janeiro, 7 de outubro de 2010.

Ao Sr. Presidente da
Ordem dos Advogados do Brasil
Seccional do Rio de Janeiro

ass.: PRESÍDIO BANGU-C — DIREITOS HUMANOS
ref.: DETENTOS — ABAIXO ASSINADO — ENCAMINHA (CÓPIA)

Senhor Presidente,

Nossa geração cresceu ouvindo falar dos porões da ditadura, onde a maldade humana fazia emergir o pior da crueldade: a tortura e o assassinato lento.

A ditadura acabou, mas os porões permaneceram.

Assim como a abolição tem mais de 100 anos e o trabalho escravo continua — e não é mais exclusividade de indíviduos de cor mais escura — tortura e maus tratos não são novidade, e continuaram a existir depois de libertados os presos políticos da década de 1970.

O método se aplica a todos os encarcerados, há séculos, e está de volta com força, se vendo até legalizado nos EUA, por Bush filho, depois dos ataques do 11 de setembro.

Os que sabem das condições a que são submetidos os presos no Rio de Janeiro, com surras, torturas e morte noticiadas nos jornais, podem imaginar como é o sistema em outros Estados da federação, notório o caso recente do vizinho Espírito Santo, que guardava gente em contêineres de carga, que não poderiam usar nem para gado.

Advogados não são pessoas frias e insensíveis, nem deixam de se amargurar quando vêem crianças pedindo esmolas no sinal, assim como não podem assistir, calados, ao triste espetáculo que a administração do sistema penitenciário proporciona a qualquer um que tenha que lidar com prisioneiros e presídios do Estado.

Bem cientes de seu papel na sociedade, no exercício do nobre ofício, resolvem dar voz ao abaixo-assinado dos detentos dessa unidade prisional denominada Bangu-C, para que possam reclamar um mínimo de dignidade, que se estenda a todos na mesma situação, em todo o país, para o bem da humanidade.

http://pagina.de/bangu-c

Alexandre Constantino D’Elia Novello OAB/RJ 97.037

Luisa Lucas Henriques OAB/RJ 160.552

Roberto Hely Barchilón OAB/RJ 54.811


Carta ao advogado Alexandre Constantino D’Elia Novello, contendo Carta Principal dos detentos à OAB, acompanhada da relação dos enfermos e de abaixo-assinados das celas 1, 2, 3, 4, 5, B-6, 7, 8, 9 e 10 à Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro.

Avisos de recebimento das correspondências endereçadas à ALERJ, OAB, MP e Defensoria do Estado do RJ.


Última atualização : 09.11.2010